Finalmente: “Todos os dias da nossa vida”!

Chegou hoje, no correio. Cheira a novo, cheira a livro, como eu gosto. E tem uma capa colorida. Não é demasiado grosso, que as pessoas têm pouco tempo. Mas também não é demasiado pequeno, para não deixar fome. Comecei a escrever “Todos os dias da nossa vida” durante a gravidez do Daniel, mas foi só depois de deixar de escrever aqui no site que encontrei tempo para o terminar. O título e a inspiração para o livro surgiram depois de uma conversa por whatsapp com a Sónia Alexandrina Santos, em que ela me dizia que o difícil, mas também o(…)

Ler mais

Nada nos separará

Já está disponível o ensinamento mensal de Novembro! São Paulo garante-nos que nada nos pode separar do Amor de Deus. É também este Amor inseparável que sustenta o matrimónio e que nos une dentro da família. Caminhemos este mês para podermos afirmar confiadamente que nada nos separará! Leiam o ensinamento, rezem sobre ele, conversem em casal e em família, e partilhem connosco aqui nos comentários.

Ler mais

Como? Adiem-se os sacramentos?

Das muitas notícias que nos chegaram sobre o estilo sacerdotal do Papa Francisco, no início do seu pontificado, foi a forma como costumava passar os meses de verão: em vez das merecidas férias, o padre Bergoglio passava o verão nos bairros sociais da sua terra, casando e batizando os que nunca tinham tido oportunidade de celebrar estes sacramentos. Que a ninguém se neguem os sacramentos essenciais, dizia. Já Papa, deu inúmeros sinais da importância que, para ele como para a Igreja, têm os sacramentos, repetindo e tornando a repetir que a Igreja não é nenhuma alfândega a dificultar o seu(…)

Ler mais

Cumpriu-se. Hoje.

Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo. É em tua casa que eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos’. (Mt 26, 18) Há qualquer coisa de novo e de estranhamente belo neste pedido do Mestre. O tempo está próximo, e desta vez, é em minha casa, é em tua casa que Jesus quer celebrar a Páscoa. Façamos os preparativos então! A primeira semana já passou. A cabeça andou à roda, o coração ficou pequenino, o espírito revoltou-se, a vida tal como a conhecíamos desmoronou-se. É em(…)

Ler mais

Ser um só… Privilégio de alguns? E alguns ecos do retiro de Advento

Reflexão da Sónia Santos Privilégio de alguns? Não, com certeza. Antes Graça para todos. Há uns dias li um artigo que alguém escreveu sobre os casamentos e os matrimónios e as suas nuances culturais a propósito do programa de televisão “casados à primeira vista”. Naquela leitura diagonal detive-me no exemplo dos casamentos indianos aos quais o autor comparava o dito programa neste aspecto. Dizia o autor que nos casamentos modernos ocidentais a relação começa quente e vai arrefecendo ao longo dos anos, nos casamentos indianos, por outro lado, a relação começa fria e vai aquecendo. De facto, num casamento como nós o conhecemos(…)

Ler mais

Aí vem o Esposo! O ensinamento do nosso retiro

Aí vem o Esposo! Ide ao seu encontro! É assim que grita o amigo do noivo na parábola das virgens prudentes e das virgens insensatas. Perceberemos nós realmente o contexto desta história? Que grito é este que soa no meio da noite, acompanhado do toque do shofar, e porquê o cortejo de lâmpadas acesas? Como era, nos tempos bíblicos, a cerimónia do casamento? E porque se serve Deus dela para nos falar? A Bíblia é a mais bela história de um casamento que possamos imaginar. Só entenderemos profundamente a maravilha das Palavras de Jesus se, por momentos, esquecermos os nossos(…)

Ler mais

Servir a dois senhores

Hoje vim da missa a meditar nesta pequena frase do Evangelho: Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque, ou não gosta de um deles e estima o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. (Lc 16, 13) Jesus falava, sabemo-lo, de Deus e do dinheiro. Mas a Palavra é válida para qualquer outro “senhor” que tenhamos. E o “senhor” que nos ocupa mais tempo e atenção, e pelo qual, às vezes, somos capazes de deixar tudo – valores, família, vocação – é nem mais, nem menos que o nosso próprio eu. Há quem lhe chame “a(…)

Ler mais

O ouriço-cacheiro, os comboios e Nós

Noite estrelada, luminosa, fresca e bela, na quinta do santuário. O Canto de Caná no centro, as tendas a toda a volta. Já tudo está em silêncio, depois de muitas correrias com lanternas, muitos jogos às escondidas, muitos risos e muita conversa – porque não há nada melhor num acampamento que as brincadeiras à noite quando se tem oito, dez, doze anos… Mas agora, já todos dormem. Todos, não: o Daniel recusa-se fechar os olhos. Parece querer ver as estrelas lá no céu, e a noite à sua volta é grande demais para o conter, tão ao contrário desta tenda(…)

Ler mais

Os filhos de Caná

Na semana passada, recebemos no site um comentário a que respondi de imediato, mas que pela sua importância, decidi transformar em post. Vamos lá: Viva TeresaAo ler estes textos sobre o carisma das Famílias de Caná surgiu-me uma dúvida. Se por hipótese algum dos vossos filhos manifestasse vontade de participar num movimento da paróquia de âmbito extra paroquial (conferencias de S. Vicente Paulo, Equipa de jovens de Nossa Senhora, Escuteiros ou outro) não o podiam deixar ir? Viva, Cristina!Os nossos filhos participam em várias coisas para lá da paróquia, como por exemplo nas atividades salesianas do MJS, em retiros e(…)

Ler mais

O eclipse lunar e o Cântico dos Cânticos

Na sexta-feira dia 27, iniciou-se o Segundo Acampamento de Caná. O Niall e eu estávamos felicíssimos: nesse dia, fazíamos vinte e dois anos de casados, e nem nos nossos mais ousados sonhos podíamos imaginar melhor maneira de os comemorar. Deus é muito nosso amigo! Pois que há de melhor, ao fim de vinte e dois anos de casamento, do que ter à nossa volta uma família feliz, ainda a crescer, e um Movimento a nascer e a fazer caminho? Depois rimo-nos juntos: se há vinte e dois anos atrás, no hotel onde passámos a lua de mel, alguém nos dissesse(…)

Ler mais