Cumpriu-se. Hoje.

Ide à cidade, a casa de tal pessoa, e dizei-lhe: ‘O Mestre manda dizer: O meu tempo está próximo. É em tua casa que eu quero celebrar a Páscoa com os meus discípulos’. (Mt 26, 18) Há qualquer coisa de novo e de estranhamente belo neste pedido do Mestre. O tempo está próximo, e desta vez, é em minha casa, é em tua casa que Jesus quer celebrar a Páscoa. Façamos os preparativos então! A primeira semana já passou. A cabeça andou à roda, o coração ficou pequenino, o espírito revoltou-se, a vida tal como a conhecíamos desmoronou-se. É em(…)

Ler mais

Ser um só… Privilégio de alguns? E alguns ecos do retiro de Advento

Reflexão da Sónia Santos Privilégio de alguns? Não, com certeza. Antes Graça para todos. Há uns dias li um artigo que alguém escreveu sobre os casamentos e os matrimónios e as suas nuances culturais a propósito do programa de televisão “casados à primeira vista”. Naquela leitura diagonal detive-me no exemplo dos casamentos indianos aos quais o autor comparava o dito programa neste aspecto. Dizia o autor que nos casamentos modernos ocidentais a relação começa quente e vai arrefecendo ao longo dos anos, nos casamentos indianos, por outro lado, a relação começa fria e vai aquecendo. De facto, num casamento como nós o conhecemos(…)

Ler mais

Aí vem o Esposo! O ensinamento do nosso retiro

Aí vem o Esposo! Ide ao seu encontro! É assim que grita o amigo do noivo na parábola das virgens prudentes e das virgens insensatas. Perceberemos nós realmente o contexto desta história? Que grito é este que soa no meio da noite, acompanhado do toque do shofar, e porquê o cortejo de lâmpadas acesas? Como era, nos tempos bíblicos, a cerimónia do casamento? E porque se serve Deus dela para nos falar? A Bíblia é a mais bela história de um casamento que possamos imaginar. Só entenderemos profundamente a maravilha das Palavras de Jesus se, por momentos, esquecermos os nossos(…)

Ler mais

Servir a dois senhores

Hoje vim da missa a meditar nesta pequena frase do Evangelho: Nenhum servo pode servir a dois senhores, porque, ou não gosta de um deles e estima o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. (Lc 16, 13) Jesus falava, sabemo-lo, de Deus e do dinheiro. Mas a Palavra é válida para qualquer outro “senhor” que tenhamos. E o “senhor” que nos ocupa mais tempo e atenção, e pelo qual, às vezes, somos capazes de deixar tudo – valores, família, vocação – é nem mais, nem menos que o nosso próprio eu. Há quem lhe chame “a(…)

Ler mais

O ouriço-cacheiro, os comboios e Nós

Noite estrelada, luminosa, fresca e bela, na quinta do santuário. O Canto de Caná no centro, as tendas a toda a volta. Já tudo está em silêncio, depois de muitas correrias com lanternas, muitos jogos às escondidas, muitos risos e muita conversa – porque não há nada melhor num acampamento que as brincadeiras à noite quando se tem oito, dez, doze anos… Mas agora, já todos dormem. Todos, não: o Daniel recusa-se fechar os olhos. Parece querer ver as estrelas lá no céu, e a noite à sua volta é grande demais para o conter, tão ao contrário desta tenda(…)

Ler mais