Testemunhos


A vela e Luz

testemunho da Olívia

 

A partilha frequente de textos nesta página alimenta uma fome que talvez muitos de nós (pais de família e esposos) sentimos. A fome de querermos sempre caminhar com Jesus para o Pai a um ritmo próprio de quem caminha em caravana familiar. E textos tão belos e profundos como este não se esgotam ao fim da leitura, mas deixam-me sempre a pensar.

Gostaria de partilhar aqui uma ideia muito bonita que o nosso pároco usou numa homilia. Disse-nos ele que a nossa vida se pode comparar a uma vela, existem grandes, pequenas, mais ou menos claras, com mais ou menos atributos, mas cuja função deve ser mais do que a decorativa: numa vida plena deve iluminar tudo à sua volta!

E como é que o fazemos? Gastando-nos. Pedaço a pedaço, minuto a minuto, entregando tudo o que somos aos outros. Esta imagem tão fora de moda quando vivemos numa época em que se quer fazer centrar o universo não na luz, mas na aparência parece estranha… Tão estranha como achar que o mais importante numa vela é o exterior, quando o que a faz arder é o pavio no seu interior…

Uma vela só se mantém acesa se tiver um interior forte, mas só se acende em contacto com uma outra chama e a mais bela chama é a recebida no dia do nosso baptismo, essa é a chama que faz de nós filhos, irmãos, família… Não importa como somos, o que temos de diferente, apenas que fomos ungidos e a partir desse dia vivemos “com Cristo, por Cristo e em Cristo”, tão simples e profundo como isso já nos dizia Paulo nas leituras este domingo.

 

 

Aproxima-se a festa da Apresentação de Jesus no templo celebrada no dia 2 de fevereiro, na tradição antiga da igreja em alguns locais do mundo celebra-se também a festa das candeias ou da purificação de Nossa Senhora (quarenta dias depois do nascimento de Jesus), depois de José e Maria se apresentaram diante de Simeão para cumprir o seu dever, e este, depois de lhes ter revelado maravilhas acerca do filho que ali lhe traziam ter proclamado:

 

Agora, Senhor, deixa partir o vosso servo em paz, conforme a Vossa Palavra. Pois os meus olhos viram a Vossa salvação que preparastes diante dos olhos das nações: Luz para aclarar os gentios, e glória de Israel, vosso povo» (Lucas, 2, 29-33)

 

E de facto Jesus é a luz que nos ilumina – a nós que tantas vezes andamos nas trevas – e é Maria quem nos apresenta esta Luz!

 

Este é sem dúvida um excelente dia para tirarmos as nossas velas do batismo da caixa e as acendermos ao serão na nossa oração familiar recordando que, a Luz de Cristo que brilha em nós nunca se deve apagar, mas deve antes contagiar todos os que nos rodeiam.

 

4 Comments

  1. Sónia Santos

    Obrigado por esta partilha tão preciosa minha irmã.

    Beijo grande

  2. Sabias palavras, as suas e as do seu pároco! Infelizmente nos dias de hoje o único objetivo de muitos é gastar a vida em “proveito próprio” … “Aproveitar ao máximo enquanto cá andamos. ..” como ainda hoje ouvi!
    Bem tento contagiar um pouco…. Mas devo ser uma vela muito fraca… Porque a minha chama não se propaga 😟!

  3. Obrigada, Olívia, por esta bela reflexão – tão simples, mas direta ao essencial. Vou lembrar-me dela quando me sentir “consumida”, desgastada 🙂 Também me fez recordar a passagem que diz que quem quiser ganhar (poupar) a sua vida, perdê-la-á, mas quem a der, ganhá-la-á. Desde que seja uma doação por amor e em liberdade (senão, não seria por amor), a nossa vida pode, de facto, iluminar muitos à nossa volta. Digo isto porque há doações vividas com tão intensa amargura e sentimento de fardo, que acabam por acarretar mais escuridão do que luz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *