Testemunhos


Advento: um caminho nos dois sentidos

Testemunho da Isabel Marantes:

Advento quer dizer vinda… neste tempo de Advento esperamos a vinda de Jesus. Mas este tempo de espera não é um tempo em que só esperamos que Jesus venha ter connosco. É um tempo em que também nós temos ir ter com Ele. Temos de nos pôr a caminho… Para ser um verdadeiro encontro, tem ser um caminho nos dois sentidos: Jesus vem ter connosco e nós vamos ter com Ele.

Como é que estamos a caminhar neste Advento? Estaremos mais perto Dele? Estaremos abertos às graças que Ele deseja ardentemente derramar sobre nós?

Há três actividades que, este ano, decidimos fazer cá em casa neste tempo de Advento: decorar a casa em família, fazer uma actividade espiritual extra em família e alguma renúncia.

Este ano a carta apostólica do Papa Francisco “Admirabile Signum – sobre o significado e valor do presépio” fala-nos da importância do Presépio. Aqui ele conta a história de onde surgiu esta bela tradição e incentiva-nos a mantê-la com toda a criatividade e simbolismo.

Este ano, cá em casa, ao falarmos em família sobre a importância dos sacrifícios no Advento, dissemos que o sentido do sacrifício é esvaziarmo-nos de coisas que nos impedem de melhor chegarmos a Jesus. Como tão bem explicou o Papa Bento XVI numa homilia em 2007:

 O sacrifício é uma renúncia saudável que nos ajuda a sair da escravidão do eu.

Temos de dar espaço para que só Jesus e o Seu Amor encham o nosso coração.

Então, os meninos resolveram levar esta ideia “à letra” e quiseram fazer uma manjedoura em que estivesse um coração (com uma caixa de tangerinas vazia, uns paus de madeira e muita cola quente à mistura), já que é aí que Jesus quer sempre nascer, crescer e fazer a Sua morada. Ao longo do Advento, por cada sacrifício feito com Amor podem colocar uma “palha” da manjedoura, para assim tornar mais belo e seguro o coração de cada um de nós, onde Jesus quer nascer.

No Natal, colocaremos então o menino Jesus na manjedoura, em cima do nosso coração repleto da “palha” brilhante dos nossos actos de Amor, deixando aí Jesus nascer… e crescer!

E também deixar que este Menino na manjedoura seja o verdadeiro alimento do nosso coração todos os dias.

Este ano decidimos também fazer a Árvore de Jessé (com o livrinho da Teresa) de uma forma especial: partindo de uma pergunta que o Miguel fez sobre em que ano é que determinado episódio bíblico aconteceu, resolvemos criar uma linha no tempo, onde vamos colocando cada episódio da Bíblia de que nos fala a árvore de Jessé no tempo correspondente. Em que ano foi o chamamento de Abraão? E em que ano nasceu Jacob… e Moisés… e o Rei David? Penso que esta actividade poderá ajudar as crianças a perceber como toda a história da Salvação se deu no meio de toda a história das civilizações antigas e de toda a história mundial que eles ouvem falar na escola. Para além disso, a visualização de uma linha do tempo como esta ajuda-nos a visualizar como Deus é paciente na preparação do seu povo para a vinda do Seu Filho. Com os belos símbolos da Árvore de Jessé que o Tiago Atalaia criou, com um livro que tínhamos cá em casa e alguma pesquisa na internet, as crianças (e os pais!) estão muito entusiasmadas e curiosas com o que vão aprender até ao Natal!

A actividade extra que vamos fazer em família é a confissão em Família neste Advento. Se possível, mais do que uma vez. Sabemos que a confissão é sempre individual, mas quando vamos em Família parece que a graça que recebemos em Família é maior do que a soma das graças que cada um de nós recebe neste sacramento. Não sei explicar muito bem, mas desafio-vos a comprovarem a minha teoria!

Cada um de nós irá também renunciar a alguma coisa até ao Natal. Como os gostos são diferentes, as renúncias também serão diferentes, mas está garantido que no Natal “tiramos a barriga de misérias”!

Não percamos, pois, a oportunidade de caminhar até Ele neste Advento, pois só Ele nos tira verdadeiramente a alma de misérias!

Não há dúvida de que a nossa união com Jesus é o desejo mais profundo do nosso coração…

Tal como disse Santo Agostinho:

Fizeste-nos, Senhor, para Ti, e o nosso coração anda inquieto, enquanto não descansar em Ti!

Vamos, pois, ao Seu encontro…Vem, Senhor Jesus!

 

 

 

 

 

2 Comments

  1. Elisabete Almeida

    Execelentes ideias. Gostei especialmente da linha do tempo. Obrigada pela partilha Que a vossa espera ativa se reverta em muito fruto no encontro com o Menino. Um beijinho

  2. Parabéns pelas ideias inovadoras de caminhada até ao advento! E confirmo a sua teoria sobre a confissão em família! Bom advento em família!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *