Testemunhos


Amor, Arte e Beleza

Desafio de Ano Novo da Olívia Batista

 

Há muito, muito tempo atrás quando era estudante, numa disciplina com um nome esquisito, tão esquisito que ainda me lembro dele (estética e fenomenologia da arquitectura e do urbanismo) os professores pediram-nos que observássemos com atenção o percurso entre a casa onde vivíamos (durante a semana de estudo) e a faculdade. Depois de o fazermos deveríamos escrever um texto a descrever esse percurso tendo em atenção as várias sensações que ele nos transmitia, as cores, o aspecto da paisagem… de tudo o que observávamos. Ora, grande parte do meu percurso era de autocarro por partes de Lisboa com construções ilegais, meias acabadas, ruas sem qualquer arranjo urbanístico por isso pensei logo que estava tramada com este trabalho!

No dia seguinte de manhã recordei (com pouca vontade) a tarefa de observar através da janela do autocarro o dito percurso e reparei em coisas que nunca tinha reparado: as cores das casas, as plantas que crescem desordenadas, o sol a bater nos vidros das casas, uma porta que em nada combina com a janela, grandes manchas de árvores, casas pequenas, prédios grandes… de tarde voltei a olhar (com olhos de ver) e vi as ruas cheias de gente, crianças a brincar, pessoas a caminhar, pássaros aqui e ali, as cores das casas já pareciam outras, o sol já não batia nos vidros… e comecei a escrever. Duas ou três semanas depois apresentei o meu trabalho à turma, sem uma única foto, apenas a descrição do que vi, ouvi e senti. Não me lembro da nota, mas recordo a admiração da professora por perceber que o objectivo do trabalho fora cumprido.

 

 

Este trabalho mudou para sempre a minha forma de observar as paisagens por onde passo. E, a este trabalho acrescentei uma nova “visão”: a espiritual, acredito que Deus dia após dia – como O Maior Artista de todos os tempos – pinta o céu com as mais belas cores pela manhã e à tardinha, salpica de estrelas brilhantes as nossas noites escuras, mistura cores e cria os mais belos montes verdejantes depois de semanas de chuva, cobre de branco as serras no inverno, doura as planícies no verão, as águas dos lagos, rios e mar ora estão verdes, azuis ou cinzentas! Como é belo o nosso mundo! Se ao menos não o destruíssemos constantemente!

 

 

Quando lemos ou escutamos as passagens da Bíblia, penso muitas vezes nesta experiência de transmitir aos outros o que se vê, o que se toca ou o que se sente e nós, milhares de anos depois podemos imaginar as mais variadas cenas porque Deus inspirou de tal forma quem escreveu os livros da Bíblia que mesmo sem uma única fotografia conseguimos “ver” o que nos descrevem, não é maravilhoso?

Por exemplo, ao lermos no livro dos Génesis a história da Criação, por várias vezes lemos “E Deus viu que isto era bom” como um Artista que contempla a sua obra! O sol e a lua, as estrelas, as árvores, os frutos, os animais, tudo era bom! Mas a Sua mais bela criação foi o ser humano:

Façamos o ser humano à nossa imagem e semelhança ” Gn.1, 26

 

 

E Deus, vendo toda a sua obra, considerou-a muito boa.” Gn.1, 31

 

Neste novo ano que começa convido-vos a fazer esta experiência, mesmo que o vosso caminho seja o mesmo há anos, meses ou semanas, olhem para ele de outra forma, não importa se estamos alegres ou preocupados, com mais ou menos pressa, às vezes é bom observar e agradecer a Deus pelas maravilhas que Ele nos oferece em cada manhã, por cada flor no nosso caminho, por cada estrela que brilha no céu, por cada pessoa que se cruza connosco!

 

 

 

4 Comments

  1. Sónia clara Santos

    Ora aqui está uma ótima meta para 2020. Obrigado querida Olivia. Beijinhos

  2. Tão interessante… Que excelente proposta! Muito obrigada Olívia! 🙂
    E que fantástico exercício para também treinarmos os nossos miúdos a olhar com maior atenção e contemplar o que é belo e a contemplar toda a arte que existe à nossa volta e que nos toca!… Bom ano para todos!

  3. Devemos mesmo tentar fazer este exercício de contemplar o que é simples para o tornar belo.
    Obrigada Olívia pela partilha e por nos mover numa nova experiência.
    Um bom ano para todos

  4. Mas que lindo testemunho! Obrigado Olívia. Confesso pele de galinha (é assim a expressão?). (“Goose pimples”)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *