Testemunhos


“O teu nada”

Testemunho de Olívia Batista

Baixa a tua cabeça e a minha surgirá

Baixa a tua voz, e a minha se ouvirá

O teu nada Me seduz!

Por ti farei brilhar a Luz!

(cântico famílias de Caná)

Quando se fala em fazer “render” os dons que Deus nos dá, colocando-os ao serviço dos outros, a nossa maior tentação é pensar que na nossa pequenez nada temos que valha a pena. Muitas vezes olhamos para o lado e tendencialmente vamos comparando o que esta e aquela pessoa sabe fazer, como o faz; e olhamos ao espelho e o nosso “nada” apunhala-nos o coração.

No entanto, se deixarmos de olhar para o lado e olharmos bem dentro do nosso coração, vamos encontrando “pequenos nadas” que nos tornam únicos aos olhos de Deus e que, quando partilhados, nos aproximam cada vez mais do Pai! Muitas vezes é preciso mais persistência e dedicação, do que “jeito” ou “habilidade”.

Recebestes de graça, dai de graça. (Mt. 10, 8)

Todos nós recebemos “de graça”. Coisas maravilhosas, muitas delas tão pequenas e simples, que aos nossos olhos parecem valer pouco, mas se as pomos ao serviço, algum fruto hão-de dar… um dia!

Foi assim que surgiu a iniciativa da Palavra Partilhada. Depois de retirar a minha Bíblia da estante onde durante muito tempo esteve guardada (a apanhar pó) e depois de descobrir a alegria de partilhar a Palavra de Deus em família – como as famílias de Caná são desafiadas a fazer, percebi que existem outras formas de partilhar a Palavra de Deus!

Desta forma, aliamos o gosto pela escrita “à moda antiga” com a missão de evangelizar e de levar algum conforto e alegria a alguém que não se conhece, mas que é único aos olhos de Deus. Aceitei o chamamento e desde então, ao longo destes três anos, tenho procurado, dentro das minhas capacidades, continuar a enviar estas pequenas cartas.

Sempre me afligiu que os textos surgissem apenas de mim, pois então não seriam mais do que partilhas de pensamentos intercaladas com passagens bíblicas ilustrativas das minhas ideias.

No entanto, eu não consigo escrever dois parágrafos seguidos sem ajuda, e a minha ajuda vem lá do alto. Não valeria a pena escrever se Deus não me inspirasse a ser um instrumento da Sua obra. E sei que, embora não seja suposto ter resposta, algumas pessoas já me contactaram para fazer a mesma pergunta: “como é possível que aquilo que escreveu fosse mesmo para mim?

Sim, é possível, porque Deus sabe tudo o que precisamos.

Quando tínhamos uma dúzia de inscrições, as cartas eram mais longas e o envio mais frequente; quando mais inscrições começaram a aparecer, a tentação de escrever a carta a computador, imprimir e enviar foi grande, mas isso já muitos fazem, incluindo “publicidade” indesejada… A escrita personalizada perdia-se e a essência da iniciativa jamais seria a mesma!

Neste momento temos algumas dezenas de inscrições no site, e isso faz com que eu escreva a mesma carta dezenas de vezes, e são essas dezenas de vezes que provavelmente eu precise de ler as mesmas palavras… nem sempre consigo fazer chegar as cartas com a periodicidade que gostaria a todas as pessoas inscritas, nem sempre a letra vai “certinha” talvez tenham erros ortográficos ou gramaticais, mas a mensagem continua a ser enviada e dentro de cada pequeno envelope branco selado está uma mensagem de fé, esperança e amor!

E assim, ao longo dos meses, nos bocadinhos entre o trabalho vou escrevendo palavra após palavra, morada após morada, colando selos, fechando envelopes, lançando as sementes dos frutos que Deus nos há-de conceder a todos!

Queria enviar uma mensagem a todos os inscritos: já todos deveriam ter recebido pelo menos uma carta (no dia 27 foram enviadas três primeiras cartas), caso ainda não tenham recebido nenhuma carta por favor cliquem aqui e inscrevam-se novamente (temos pelo menos uma inscrição sem localidade e código postal), e entretanto vão rezando por mim e por esta minha pequena missão!

3 Comments

  1. Olivia,
    Obrigada por colocares o teu Dom ao serviço desta forma, pelo menos falo por mim, quando vejo uma carta sinto logo uma alegria enorme.
    Beijinhos
    Inês

  2. Querida amiga, é sempre com imenso entusiasmo que se abre a tua carta cá em casa! Tudo nela nos encanta: o envelope, os post-it coloridos com uma surpresa para pesquisar na Bíblia, o teu texto… Tudo! Lemo-la à hora do jantar, quando estamos no nosso horário nobre, e é uma festa! Bem hajas!

  3. Susana da Conceição Oliveira Machado

    É a primeira vez que faço um comentário nesta página que já faz parte da minha vida diária. Quanto às suas cartas Olívia, são como alimento…
    Já recebi duas e quanta alegria senti quando chegaram a casa e mesmo antes de as abrir já faziam efeito em mim. Sem erros ortográficos nem gramaticais e a letra não podia ser mais “certinha”, deixaram sem dúvida uma mensagem de Fé, Esperança e Amor.
    Guardo-as como quem guarda um tesouro. Obrigada
    Beijinhos
    Susana

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *