Eventos anteriores


Dois testemunhos e uma surpresa

Domingo foi um dia muito cheio: depois da missa e da catequese, almoçámos à pressa e partimos para Vila Chã de Sá, perto de Viseu, onde iríamos dar o nosso testemunho familiar num retiro quaresmal de duas paróquias do senhor padre Marcelino. Durante a viagem, conversei com o David: “David, outro dia, no concurso de leitura, fiquei muito orgulhosa de ti!” “Obrigado”, respondeu-me, com a sua simplicidade natural. “Achei que estavas muito bem em palco, muito seguro, e que falaste com muito à-vontade sobre o livro que leste. Não ganhaste o concurso, mas ganhaste uma autoconfiança que não te conhecia!”(…)

Ler mais

Um missal a sério

No sábado passado, como talvez tenham visto em Eventos, orientámos o retiro da família Paulus, em Fátima, a convite do padre José André, na casa mesmo em frente da belíssima livraria Paulus. Que dia maravilhoso! Maravilhoso pelo acolhimento, maravilhoso pela simpatia de quem nos escutou, maravilhoso pelo entusiasmo das pessoas, quase todas avós empenhados nas suas paróquias, e que antes do dia acabar já tinham encontrado estratégias para nos levar a testemunhar nas suas terras e nas suas casas, junto dos elementos mais jovens das suas famílias. Também fomos escutados por algumas famílias jovens, sim, que com os seus sorrisos(…)

Ler mais

Matosinhos e as novas Famílias de Caná

Domingo foi dia de retiro para a paróquia de Matosinhos. E que dia tão lindo! Depois de um primeiro encontro em Matosinhos, em outubro, onde demos o nosso testemunho familiar, o senhor padre convidou-nos para orientar o retiro das famílias na quaresma. Assim, em Matosinhos encontrámos sobretudo famílias que, depois de nos escutar uma vez, sentiram vontade de o voltar a fazer, ou famílias que tinham ouvido falar do nosso testemunho e quiseram conhecer de perto. Ficámos felizes: à partida, estávamos entre potenciais Famílias de Caná! Ficámos ainda mais felizes quando reconhecemos, entre as famílias, cinco rostos: os da família(…)

Ler mais

Brincar em modo de retiro

Os encontros Famílias de Caná são sempre, como bem diz o nome, em família. Alguns ensinamentos reúnem a família toda, outros são feitos separadamente para pequenos e para grandes. E há sempre crianças a passar! Mas um retiro não é só feito de palavras, não! Também é feito de brincadeira, porque a brincar também louvamos o Senhor, e de que maneira! Brincar com os filhos é talvez o dever mais divertido dos pais. Dever? Sim, dever. Todos os pais têm a obrigação de brincar com os filhos de vez em quando! Um dever que rapidamente se transforma em prazer… Assim,(…)

Ler mais

A neve de Nossa Senhora

Santa Teresinha, minha amiga desde a infância, conta na sua autobiografia um episódio que sempre me tocou: Não sei se já vos falei do meu amor pela neve. De muito pequena, a sua brancura encantava-me. Um dos meus maiores prazeres era passear sob os flocos de neve. (…) Enfim, sempre desejara que no dia da minha Tomada de Hábito a natureza estivesse como eu, vestida de branco. Na véspera desse belo dia, olhava tristemente para o céu cinzento, de onde se escapava, de tempos a tempos, uma chuva fina; a temperatura era tão amena, que não esperava neve. (…) Mas(…)

Ler mais

Acolher e ser acolhido

Na Suíça, fomos acolhidos em duas casas. Uma, o apartamento do senhor padre Walfrido, um simpático missionário brasileiro responsável pela missão portuguesa em Zurique. A outra, o apartamento do Liberto e da Beta, pais da Fátima, do João e do Francisco (que irá nascer em maio) e que, conhecendo-nos através de uma entrevista na Angelus TV, de imediato nos desafiaram a ir ter com eles à Suíça. Mas se em tamanho estas casas eram pequenas, em acolhimento eram bem espaçosas! Durante três dias, não faltou comida abundante sobre a mesa, quais Bodas de Caná, chocolates suíços à discrição, passeios à(…)

Ler mais

Uma caravana de dez e um avião

É um desafio tentar pôr em palavras a nossa experiência na Suíça. Talvez as imagens falem melhor daquilo que por lá vivemos! Partimos na sexta-feira à tarde e regressámos na segunda-feira à noite. Durante três dias, vivemos em profundidade o carisma de Caná, com Tempo de Família e Tempo de Deus abundantes e felizes. Vou contar-vos tudo aos bocadinhos, se não se importam! Um só post não chega… Viajar em família, quando a família é numerosa e está temporariamente alargada a mais dois adolescentes, é um verdadeiro desafio. E, claro, uma ótima oportunidade para Tempo de Família! Os aeroportos são(…)

Ler mais

E chegámos ao Algarve!

O dia 16 de dezembro de 2017 ficará para sempre na nossa memória familiar. Nunca, como desta vez, o aniversário natalício do Tomás foi tão especial! Sábado de manhã, a alegria transbordava cá em casa: vamos ao Algarve! Vivam as férias, viva o sol, viva a praia, vivam as Famílias de Caná! Quem nos ouvisse falar nos dias anteriores, pensaria que efetivamente se tratavam de férias familiares, tal era o nosso entusiasmo. Mas a verdade é que as Famílias de Caná têm um segredo de ouro, traduzido em poucas palavras no seu lema: Tempo de Família, Tempo de Deus. Quando(…)

Ler mais

Por seres cristã

“Obrigado, Jesus, porque vimos duas cabrinhas, um burrito, um cavalo branco e três galinhas…” “Duas! Eram duas galinhas! Obrigado, Jesus, pelo cavalo.” “E pela casa abandonada. Obrigado, Jesus, porque explorámos uma casa abandonada, e estava tão velha, tão velha, que tinha os vidros partidos.” “Sim, foi bué de fixe! E jogámos à bola no campo em frente do cavalo branco. E no largo da igreja.” “E a bola foi para dentro do quintal da casa abandonada e tivemos de saltar o muro para lá entrar.” “E eu fiz uma amiga nova. Chama-se Catarina. Brincámos as duas e queremos brincar outra(…)

Ler mais

A hospitalidade e o bolo inteiro

No domingo à tarde, a Família Power rumou a Santa Comba Dão para mais uma tarde de testemunho. Pelo caminho, como sempre, rezámos o terço, mas foi difícil manter a doce repetição da Avé-Maria quando a estrada se transformou de repente num imenso tapete negro. Que visão tão triste, a de quilómetros e quilómetros de terra queimada, aqui tão perto de nós! As exclamações de espanto e horror foram intercaladas com súplicas por todas vítimas dos incêndios no nosso pequeno país. Em Santa Comba Dão, esperava-nos um anfiteatro bastante cheio. “Seriam muito mais famílias”, assegurou-nos o padre Virgílio, “se os(…)

Ler mais