Em Caná da Galileia...


Um missal a sério

No sábado passado, como talvez tenham visto em Eventos, orientámos o retiro da família Paulus, em Fátima, a convite do padre José André, na casa mesmo em frente da belíssima livraria Paulus. Que dia maravilhoso! Maravilhoso pelo acolhimento, maravilhoso pela simpatia de quem nos escutou, maravilhoso pelo entusiasmo das pessoas, quase todas avós empenhados nas suas paróquias, e que antes do dia acabar já tinham encontrado estratégias para nos levar a testemunhar nas suas terras e nas suas casas, junto dos elementos mais jovens das suas famílias. Também fomos escutados por algumas famílias jovens, sim, que com os seus sorrisos abertos, rapidamente entraram em sintonia connosco. Renovamos o desafio que lhes fizemos pessoalmente: juntem-se a nós! Caminhem connosco, Famílias de Caná!

Com a livraria mesmo em frente, não faltaram oportunidades de comprar bons livros de espiritualidade. Foi numa dessas ocasiões que o António veio ter comigo:

“Mamã, lembras-te? Outro dia pedi-te que me desses um missal só para mim…”

Olhei o meu pequeno filho com espanto. Do alto dos seus oito anos acabados de fazer, o António estava muito sério.

“Sabes, eu já não sou bebé. Não preciso daqueles missais para crianças que lá temos em casa, com desenhos. Quero um como o teu. Verdadeiro.”

“Mas… Tu vais ler as leituras todas?”

“Sim. E se for a sério, posso levar para a missa e ler, enquanto o senhor padre está a falar.”

“Mas tu estás a acolitar! Levas o missal lá para cima?”

“A Lena (responsável pelos acólitos) também leva o seu missal e lê. Eu posso fazer o mesmo.”

O padre José André estava ali perto. Fomos os dois ter com ele e eu expus-lhe a questão do António. O padre José André retribuiu-lhe o olhar solene e sério, levou-o junto dos missais “verdadeiros” e perguntou-lhe:

“É isto que tu queres?”

“Sim”, foi a resposta convicta.

“Então toma. Eu ofereço-to.”

Mudo de espanto, o António quase se esquecia de agradecer. Depois, cheio de alegria, começou a folheá-lo para o marcar nas leituras da missa do dia.

Ter um missal “a sério” é uma das melhores decisões que uma Família de Caná pode tomar. A Palavra de Deus é Pão para ser comido todos os dias, e não há, para mim, melhor forma de o fazer do que acompanhar as leituras da missa diária. Afinal, elas são para nós, em cada dia, Palavra da Salvação! Dia a dia, as leituras propostas no missal contam uma história, abrem uma Carta, relatam um episódio da vida do povo de Deus, anunciam os milagres e os gestos de Jesus. Dia a dia, as leituras propostas no missal são pão partido em pedacinhos pequenos, doseados, como uma refeição familiar. E para que nós possamos compreender tudo muito bem, vêm sempre acompanhadas de uma breve explicação. Não precisamos de muito mais para entender a Palavra de Deus, pois como nos diz o salmo do próximo domingo,

As ordens do Senhor são firmes,

dão sabedoria aos simples.

Os mandamentos do Senhor são claros

e iluminam os olhos. (Sl 18)

Hoje apanhei o António a ler as leituras no seu missal, sozinho, no Canto de Oração Familiar. Vou seguir-lhe o exemplo… Até já!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *